18 de mar de 2013

Noite


 Apenas um murmúrio na noite
Um abraço perdido em algum canto
Um orvalho envelhecido escorrendo frio,
por toda a flor

Apenas para que a noite não acabe num grito
A canção sufocando o soluço...roucamente
E depois... o silêncio...


Já adormeceram os pássaros
Recolheram suas asas e com elas seus sonhos
A noite está cega sem lua
E as estrelas apagaram o que lhes foi escrito

A noite é vazio... um labirinto... um abismo...

regina ragazzi

6 comentários:

  1. Querida amiga,
    Façamos como as árvores
    nesta nova estação de outono,
    que se despem das folhas
    mortas.
    Temos que nos despir de
    todas as mágoas, tristezas,
    incertezas, desamor.
    Vamos abrir nosso coração
    enchê-lo de amor, amizade,
    solidariedade.
    Quando a primavera chegar
    estaremos prontos a
    encher nossos jardins de
    flores de esperança.
    Beijokas

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    As vezes a noite, pura escuridão
    Com intensidade que tolhe visão
    Estrelas apagadas
    Num céu sem pegadas
    Quando vulneráveis ficamos então.

    ResponderExcluir
  4. Regina,
    Há muitos dias que não te visito. São tantas coisas!... afazer. Mas deu-me a saudade e vim a teu encontro atraves deste blog, aqui encontrando um belo poema - este teu. Parabéns, amiga. E a renovação do abraço fraternal e amigo
    chico miguel de moura

    ResponderExcluir

Obrigada por ter vindo. Deixe seu comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...