30 de nov de 2012

Cacos


“Os cacos da vida, colados, formam uma estranha xícara.
Sem uso,
ela nos espia do aparador”

Carlos Drummond de Andrade


Juntei meus cacos, meus trapos, meus laços
e  refiz minha história.

Mas sobraram pedaços
que não se encaixavam em lugar algum.

Com eles, tentei me reinventar
numa outra história
Deixando de lado
os velhos cacos, e trapos, e laços
Guardados, intactos
em algum lugar do meu passado.

regina ragazzi




2 comentários:

  1. Limerique

    Na verdade uma vida em bagaço
    Que com o mundo não tem mais laço
    Monte de escombros
    Causando assombro
    Visão que causa apenas cansaço.

    ResponderExcluir
  2. Sobras, cacos, restolhos são componentes importantes para a nossa poesia.
    Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir

Obrigada por ter vindo. Deixe seu comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...