11 de dez de 2012

Disfarce


Em minha aparente nudez vou enganando a vida
Estou vestida de medos e angústias
Barreiras, escudos que criei e que me protegem
Posso até ser tocada, mas nunca invadida
Sou bicho arisco, me encolho toda quando acuada

Há uma porta invisível em mim que nunca se abre,
só quando eu permito...
Ainda assim tenho feridas que não cicatrizam
Elas ficam em mim como um aviso, um alerta
E se por qualquer motivo eu me arrisco,
 elas me sangram,me doem...então eu desisto
E assim aparentemente me dispo

regina ragazzi

2 comentários:

  1. Limerique

    Poeta completamente vestida
    De voz e inspiração contida
    Ela sente-se arisca
    Quase não se arrisca
    Mas, no fundo, de bem com a vida.

    ResponderExcluir
  2. melódico e bem escrito.

    uma poesia "madura"

    beijo

    ;)

    ResponderExcluir

Obrigada por ter vindo. Deixe seu comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...