2 de dez de 2012

Precipício



Ah... e tu sorrias enquanto ela se atirava
Estar contigo era tudo que ela desejava
Cair em teus braços e assim ficar

Teu corpo frio nem a torturava
Sentia ainda aquele sangue quente que jorrava
Vermelho vivo
Escorrendo até a última gota

Que escorra...que escureça...
que seque ... que morra...

Ela quer teu frio... congelar
Quer a escuridão... nenhuma luz prá lhe cegar
Ah... ela quer o silêncio cúmplice que só tu pode lhe dar
Ela quer morrer devagar
Não a deixe fugir
Não a deixe voltar...

regina ragazzi

2 comentários:

  1. Limerique

    Quando o desespero a ela vence
    Mata-se numa espécie de non sense
    Dizendo-se ferida
    Abrevia a vida
    Afinal, sua triste vida lhe pertence.

    ResponderExcluir
  2. Minha querida

    Passei e gostei de tudo o que li e tomei a liberdade de seguir para poder voltar mais vezes.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir

Obrigada por ter vindo. Deixe seu comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...